Plano de Pormenor da Praia Grande - Estacionamento

Na última reunião da Assembleia Municipal de Sintra, que teve lugar no passado dia 3 de fevereiro, a deputada municipal Lúcia Dias, eleita pelo nosso Movimento, fez uma intervenção sobre o Plano de Pormenor da Praia Grande, incidindo especialmente sobre a projetada construção de um parque de estacionamento.

Conheça aqui na íntegra esta sua intervenção.

 

deputadosmunicipal ldiasEm primeiro lugar, gostaria em meu nome pessoal e em nome do Grupo político que aqui represento – SINTRENSES COM MARCO ALMEIDA - de me congratular com o trabalho desenvolvido pelos serviços, sob a direção da Sra. Diretora Municipal, Sra. Arq Ana Queiróz do Vale, mormente pelo esforço de ordenamento da área subjacente ao presente Plano de Pormenor, que muito nos apraz e que consubstancia, em termos gerias, um esforço e uma melhoria significativa para aquela freguesia e em particular para a área abrangida pelo PP.

Todavia, e tal como o nosso Grupo Político já teve oportunidade de expor à Sra. Diretora Municipal, na reunião que teve lugar com a Comissão de Gestão, Planeamento e Ordenamento do Território, da qual sou a Coordenadora, assistem-nos algumas dúvidas e preocupações, desde já agradecendo os prestimosos esclarecimentos nessa sede prestados pela Sra. Diretora Municipal e que considerámos, nomeadamente, o facto de nos ter sido dito pela mesma, tratar-se de um plano de natureza geral, podendo, em sede de gestão, de execução, vir a ser concretizado de forma pontualmente diversa, razão pela qual aqui trazemos essas nossas preocupações no sentido de sensibilizar o Sr. Presidente para que, caso o presente PP venha a ser aprovado, possa, em sede de execução do Plano tomar as medidas que repute de mais adequadas a minorar os constrangimentos que sentimos e que aqui trazemos e que passaremos a enunciar, bem como, eventualmente, acolher algumas sugestões:

  1. Em primeiro lugar, pensamos que seria muito útil a realização dum inquérito aos utilizadores da Praia Grande, durante o Verão, para conhecer melhor o seu perfil e as suas necessidades.
    Ainda assim, julgamos que a maioria dos utilizadores serão do nosso concelho e em particular das freguesias de Colares e S. João das Lampas, muito dependentes do uso de carro próprio, por falta de outras soluções de transportes públicos.
    Neste caso e com muita frequência serão famílias com filhos pequenos e que usam o carro como a melhor alternativa de conforto e economia.
    Há ainda a considerar os muitos jovens surfistas que por causa do seu equipamento usam também muito o automóvel.
    Por fim, as escolas e infantários que tradicionalmente levam grupos de crianças à Praia Grande em autocarro.
    Isto é importante para ponderar o tipo de condicionamento adequado no acesso automóvel, para que não se corra o risco de, por causa de modas de mobilidade suave nem sempre adequadas às necessidades das populações, se afastem ou dificultem os utentes tradicionais de usarem a praia.
  2. Em segundo lugar, dada a proximidade entre as duas praias, pensamos que, talvez, fosse útil ponderar a implantação de estacionamentos que servissem em conjunto a Praia Grande e a Praia das Maçãs, nas zonas entre as duas praias, com acessos pedonais a ambas.
  3. Em terceiro lugar, parece-nos uma violência a implantação dum parque de estacionamento para quase 400 carros numa zona da arriba tão sensível e instável, e ainda com uma elevada potencialidade para usos bem mais suaves e complementares à Praia, como por exemplo uma esplanada paisagística e natural sobre o mar, com zonas de estadia e piquenique e eventualmente um restaurante.
    Achamos uma má opção e contraditória com os valores naturais e paisagísticos que o PP devia defender e valorizar.
    Aqui, eventualmente, seria aceitável uma pequena bolsa de estacionamento (20/30 lugares) logo na entrada, para apoiar o Coroa, acabando com o estacionamento atual em cima da arriba e promovendo a recuperação natural deste espaço.
  4. Entendemos, ainda, que a natureza deste território recomendaria parques de estacionamento mais distantes das arribas e mais integrados no espaço urbano ou nas Áreas de Edificação Dispersa, em bolsas de menor dimensão/menor impacto (80 a 100 lugares em cada bolsa).
    Esta solução teria ainda a vantagem de dispersar a pressão automóvel em vez de a concentrar na curva/contra curva em frente ao Coroa.
    Como localizações alternativas para estas bolsas de estacionamento: o cruzamento em frente do parque de campismo, a Rua da Lagoa, a Travessa da Lagoa, entre outras, tentando acautelar, claro está, os demais interesses presentes, nomeadamente dos moradores.
    Outra solução para a implantação de estacionamento público seria o redimensionamento do perfil de alguns arruamentos, por exemplo a Estrada do Rodízio, de modo a criar estacionamento marginal.
  5. Acolhendo esta nossa sugestão, seria necessário garantir o acesso pedonal fácil entre as Bolsas de Estacionamento e a Praia, através de caminhos confortáveis e, quiçá, da construção dum ELEVADOR PANORÂMICO da frente da arriba (à semelhança do Elevador da Boca do Vento, em Almada), ou seja, nada utópico ou inexequível.
  6. Seria também interessante estudar a possibilidade de acabar com a situação de impasse do arruamento da praia, abrindo o acesso no topo Sul com ligação rodoviária, mesmo que condicionada a ligeiros, até à área urbana a Sul (Rua da Lagoa de Baixo).

Em suma, parece-nos que o presente Plano, malgrado, repita-se, traduzir um enorme e louvável esforço dos Serviços e deste executivo, poderá ser melhorado nos moldes sobreditos.

Lúcia Dias
Deputada Municipal pelo Movimento "Sintrenses com Marco Almeida"

Conheça também todas as intervenções dos Deputados Municipais eleitos pelo nosso Movimento na Página da Assembleia Municipal.

TOPO