Sintra: O estado a que o turismo chegou!

Aos problemas de mobilidade que levam a engarrafamentos e a uma falta de fluidez intoleráveis, por manifesta falta de soluções e alternativas para acesso aos locais que constam do roteiro de visitas e a que se juntava a falta de resposta em matéria de alojamento, tornando Sintra um  destino obrigatório mas sem a permanência dos turistas senão por um curto período, eis que agora, em pleno coração de Sintra, no bairro da Estefânea e a partir duma varanda sobranceira, se assiste a uma paisagem que não se quereria ver! 

Com o seu futuro e sustentabilidade a dever-se questionar, não é, seguramente, este o turismo que Sintra, com todos os créditos que já capitalizou, deve querer!

E mesmo que haja a tentação de considerar que não há como controlar as opções de vida de quem nos vem visitar, a autarquia não pode isentar-se duma responsabilidade própria nesta situação.

A existência de imóveis sem utilização e em locais de grande centralidade é um convite para que aconteça o que não se pode nem se deve deixar acontecer. E
se aqui são cerca de uma dúzia que vivem/pernoitam sem dignidade, arredados das condições básicas e deixado entrever por uma imagem que, fortuita mas
dolorosamente se conseguiu captar, noutros locais vá-se lá saber…

A falta de policiamento eficaz é também uma razão para se fazer com tanta facilidade aquilo que se faz!

Sintra merecia mais! É preciso fazer mais!

TOPO