Tão ridícula como desnecessária!

Julgo que é assim que podemos definir a recente iniciativa da Câmara Municipal de Sintra a propósito da situação que aflige os residentes da rua de São Tomé e Príncipe, no Cacém.

Segundo as notificações camarárias que têm chegado aos munícipes afetados em novembro de 2014 com a queda de um muro de suporte que atingiu as suas habitações, a autarquia pretende agora que estes paguem cerca de 70 mil euros referentes aos trabalhos realizados de remoção de pedras e terras.

Numa autarquia que apregoa solidariedade, aparente dizemos nós, por todo o lado, não deixa de ser ridícula e desnecessária esta atitude de castigo municipal aos que sofreram na pele o susto, a desorganização das suas vidas e a angústia quanto ao custo de recuperação dos seus bens. Pelos vistos, para a Câmara Municipal de Sintra isso não basta. Agora é preciso penalizar carregando-os com mais 70 mil euros.  Não surpreende esta decisão municipal se tivermos em conta as declarações do Presidente quanto à responsabilidade daqueles que ali decidiram viver.

Quando à frente dos destinos de Sintra temos alguém do PS - com o apoio do PSD e da CDU - que se preocupa mais com números do que com as pessoas, o resultado é este!

murocacem

TOPO